segunda-feira, 2 de maio de 2011

A manga

Conhecer o interior do Brasil é sempre enriquecedor, seja por admirar nossas variadas culturas, participar do cotidiano de outras regiões, ouvir o sotaque "puxado" das pessoas, ou mesmo viver por uns dias em uma realidade tão diferente da cidade grande. 
Estávamos sentados, certa noite, numa mesa de bar, dessas de alumínio, tão comuns por botecos de norte a Sul do nosso país. Porém ali, tudo era diferente. Acima de nossas cabeças estava uma frondosa e enorme mangueira, aos nossos pés  o chão de terra, acima da árvore, as estrelas, que iluminavam o céu límpido que nos observava naquela bela noite. Um cenário que faria a mais pura inveja a qualquer barzinho da Vila Olímpia ou da Vila Madalena. 
O papo seguia muito animado, quando de repente foi cortado com um grande barulho:
- Bam!!
Um susto, mas nada grave. Uma manga despencou de lá de cima, no alto da árvore, sobre a mesa de alumínio. Demos muitas risadas, era uma cena, no mínimo, inusitada. 
Bem lá no fundo, entre sorrisos, agradecíamos a Deus. Primeiro, por ter oportunidade de presenciar uma cena dessas. Segundo, por estarmos embaixo de um pé de manga e não de um de jaca.  

29 comentários:

  1. KKKKKKKKKKKKKKKKK AI WOLBER ...IMAGINO O SUSTO...
    MENINO VOCE VAI TER TANTA HISTORIAS PRA CONTAR NÉ?NOSSA COMO DEVE SER RICA SUA VIDA ..RICA DE VIDA DE DETALHES DE PESSOAS DE CAUSOS ..ESSES BOTEQUINHO AQUI AINDA TEM ...ALIAS VOCES NÃO VÃO PARA O CONTRO OESTE NÃO??AQUI TAMBEM TEM LUGARES QUE DEUS ME LIVRE ..QUEM SABE A CARAVANA DO AMOR AO PROXIMO UM DIA NÃO VEM AQUI?DAI EU VOU AJUDAR NEM QUE SEJA PARA FAZER A COMIDA NO ALOJAMENTO DO POVO TODO DA IBS SRSR ..OLHA ESSAS COISAS SIMPLES É O QUE FAZ NOSSA VIDA FELIZ NÉ?
    BJ E FIQUE BEM .

    OTILIA

    ResponderExcluir
  2. Dóctor Wolber, meu amigo....

    Inda bem meRmo.. rss Já pensou um jacada na cachola? hehehehe

    Abraços
    Tatto

    ResponderExcluir
  3. Se fosse na Bahia teria sido sim debaixo de uma jaqueira , jacaqueira... O word não aceitou nenhuma das duas palavras,acha que estou inventando palavras, então vamos parar de inventar: Pé de jaca. E os baianos tem iam querer saber se caiu na sua cabeça, no chão ou na mesa. Iam sim brigar por cada partezinha dela.
    Wolber, meu pai era um matuto, que amava o chão, a noite estreladas e os cantos dos pássaros na alvorada. E eu aprendi com ele a gostar de ficar conversando fiado, nas noites de lua cheia, quando não tem nenhuma luz artificial para atrapalhar a obra universal de Deus. Infelizmente nas metrópoles nao temos oportunidade nem de ver lua, quanto mais céu estrelado, ou pássaros cantando no alvorecer, ou desfrutar do cheiro de terra molhada, ou do capim quando a chuva passa e o sol aquece e fica um cheiro inebriante que nenhum perfume consegue imitar...
    Realmente és um abençoado por fazer parte dessa natureza, tão escassa nesse mundo secular e cheio de preocupações capitalista.
    E quem chupou a manga quase assassina? Se bem que meu pai dizia que manga com pinga faz mal...

    ResponderExcluir
  4. kkkkkkkkkkkk

    Tá vendo!!
    É por isso que eu digo que a gente sempre tem bons motivos pra agradecer.

    Excelente, amigo!
    Adorei!!!!

    Beijo!

    ResponderExcluir
  5. kkkkkkkkkkkk

    Tá vendo!!
    É por isso que eu digo que a gente sempre tem bons motivos pra agradecer.

    Excelente, amigo!
    Adorei!!!!

    Beijo!

    ResponderExcluir
  6. Realmente, se fosse um pé de jaca, ou um coqueiro, a coisa podia ficar séria!
    Eu recordo que quando morei no Recife, no local onde eu trabalhava, estacionávamos os carros sob enormes mangueiras, e havia sombra durante as horas mais quentes do dia.
    Só que os veículos quase sempre ficavam bem melados pelas mangas que sempre caiam nos tetos e capôs!
    Me fizestes lembrar de coisas boas!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  7. Oi Wolber, tudo bem com você ?
    Cada situação inusitada não é mesmo? Mas muito prazerosas... Ao mesmo teo que admiramos imagens belíssimas do nosso país, estamos juntos dos nossos amigos de todas as horas....
    Eu, leitora fiel do seu blog, adoro ler todas suas histórias por esse mundo a fora...

    Sorte que não era de Jaca mesmo hein !

    Um grade beijo Wolber e um forte abraço :D
    Saudaaaaaaadees !!!

    ResponderExcluir
  8. Wolber,
    O prazer de viver faz com de um momento tão simples algo inesquecível.Assim é sua equipe.É preciso aproveitar cada instante,cada momento. Amanhã,muitos,irão enaltecer o nome de vocês.


    Grande abraço...Que Deus continue nos abençoando!


    Luciano Guimarães

    ResponderExcluir
  9. Wolber, meu amigo!!

    Já saliveiiiiiiiiiii aqui rs.

    Não sou chegada em muitas frutas, mas manga...ahhh meu amigo, mangaaaaa é a minha fruta preferidaaaaaaaaa!

    (Ainda bem que não foi jaca hehehe, mas confesso que tbm adoro jaca).

    Um abração!

    ResponderExcluir
  10. Vixe! Imagino o susto... Lá na escola tem uma jaqueira e uma senhorinha, do tipo amiga da escola, acho de ficar embaixo, espiando pro alto da árvore. Bom, a jaca caiu sim na testa dela, saltando a seguir pro braço. Depois que me certifiquei q ela estava bem, apesar de muito ralada, eu tive uma crise de riso homérica, imaginando aonde a curiosidade nos leva. O que ela tinha que estar fazendo lá???

    Beijo, meu querido das histórias vivas.

    ResponderExcluir
  11. Otilia, minha amiga!

    Você é uma pessoa que realmente dá valor às coisas boas dessa vida. Tenho certeza que se fosse um dia conosco, ia "pirar" da forma como nós "piramos".

    Olha, este anos, trabalharemos em Goiás. Se não me engano em Pirenópolis. É longe de você?

    Olha que vou cobrar a comida gostosa que você está se comprometendo a fazer, hein?! Aí, você pega o maridão, coloca o avental na mala, e vamos para Pirenópolis!

    Um beijo, minha amiga!

    ResponderExcluir
  12. Tatto, meu amigo,

    Uma jaca na cabeça faria um estrago e tanto! Essa é a diferença entre uma piada e sorrisos, e um pronto socorro e lamentos.

    Um pequeno detalhe. Deus entre eles...

    Abraço amigão!

    ResponderExcluir
  13. Oi Marly! Tudo bem?

    Seu pai, então, era um sábio. Pelo menos é assim que eu vejo essas pessoas que sabem dar valor ao que realmente importa, a um belo pôr-do-sol, a um canto de passarinho, à uma bela cachoeira. Essas pessoas sabem viver.

    Os que dão valor ao dinheiro hoje, geralmente, são os que são mais infelizes. Podem ganhar muito dele, mas gastam sua saúde para conseguí-lo, e depois seu dinheiro para curá-la. E um dos remédios é esfriar a cabeça no campo, na praia, num lugar tranquilo. Que é onde essas sábias pessoas vivem...

    Prazer tê-la aqui Marly!

    Beijo!

    ResponderExcluir
  14. Olá, minha amiga policial! Tudo bem?

    Pois é, eu sigo as diretrizes de Poliana. Há sempre um lado bom de tudo, mesmo que não pareça existir. Há.

    Basta olharmos melhor, ou esperar um bom tempo para olhar para tras e conferir.

    Que bom tê-la aqui!! :)

    Beijo!

    ResponderExcluir
  15. Leonel, meu amigo! Tudo bem?

    Que bom saber que o ajudei a lembrar coisas boas. Isso faz a alegria de qualquer pessoa que escreva quaisquer palavras. Que elas tenham levado algo bom a alguém.

    Fico feliz em ter conseguido isso.

    São aqueles poucos momentos que, na hora, parecem uma amolação, uma manga suja no carro, uma roupa manchada, ou algo do tipo. Depois de alguns anos, a saudade bate daquelas boas sensações. Isso é a alegria de viver! :)

    Valeu a visita Leonel! Um abração!

    ResponderExcluir
  16. Olá Joyce!! Tudo bem, querida amiga?

    Esse é nosso país. Ainda temos muito, mas muito mesmo a melhorar, mas temos muitas riquezas também, que temos obrigação de exaltar! :)

    Vá se preparando para tomar algumas mangas na cabeça daqui a dois anos, hein?! :)

    beijo!

    ResponderExcluir
  17. Olá Luciano!! Como vai, amigo?

    Pois é, essas coisas simples e, na teoria, pequenas, são as coisas que dão sabor à nossa vida.

    Acredito que lá na frente veremos o quanto essas "pequenas" coisas são grandiosas. Como relembrou nosso amigo Leonel a uns comentários acima.

    Um abração Luciano!

    ResponderExcluir
  18. Hahaha! Olá Sil!

    É, minha amiga, e coisas deliciosas caem assim, de graça, quase que literalmente do céu.

    Sabe que pessoas do sertão acham estranho que nós tenhamos que pagar para comer frutas? Lá eles pegam diretamente do pé. O vizinho que tem uma mangueira dá para seus vizinhos e para quem pede, troca com o outro que tem goiabas ou umbu...

    Não é uma delícia, em todos os sentidos?

    Quem sabe o mundo não vai aprendendo...

    Um beijo Sil!

    ResponderExcluir
  19. Hahahaha!! Olá Milene!! Tudo bem?

    Olha, por melhores intenções que tenhamos, por mais que queiramos ser bonzinhos, vá ser forte assim para não dar risada de uma cena dessas! :)

    Certas pequenas catástrofes são assim, cômicas. Imagine se em vez de cair sobre a mesa, a manga tivesse caído em minha cabeça? Seria piada até hoje e em cada roda de amigos que se juntasse num barzinho surgiria a lenda da manga na cabeça... rs

    Grande beijo Milene!

    ResponderExcluir
  20. OLHA NÃO E´TÃO LONGE NÃO MAS E UM POUCO SRSRSRF SE TEM QUE VIR A CUIABA...CACERES,BARRA DO BUGRES ..IXI AI DA PRA IR..VIU?? E PODE DEIXAR QUE SE VIR POR AQUI VAMOS MESMO FAZER UMA PEIXADA ,GALINHADA,ARROZ CARRETEIRO PRA CARAVANA TODA COM MAIOR PRAZER MESMO...SE VAI A GOIAS ESTOU NO MATO GROSSO MAS SEI QUE VEM AQUI SIM!!

    BJS AMIGO

    OTILIA

    ResponderExcluir
  21. Barzinhos nesse interior por aqui onde moro, tem sempre pés de manga e ou caju...é "gole" já com tira-gosto...
    Mas de jaca, nunca vi também.
    Acho bom o valor que você dá as coisas mais simples, elas realmente têm uma beleza ímpar.
    Vim matar saudades de você, nunca mais me visitou...mas sempre que posso, venho ler seus "causos", histórias sempre interessantes.
    Uma bela noite amigo.
    Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  22. Otilia! Tudo bem?

    Hahaha, olha que além dos ideais, você pode estar nos atraindo para a região pelo estômago, hein?! Peixada, galinhada e arroz carreteiro é covardia! :) Deu até fome! rs

    Mas ir ao Mato Grosso é um antigo plano nosso, que ainda não conseguimos realizar. Quem sabe em breve? Aí te aviso para você se juntar conosco!

    Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  23. Oi Dayse! Tudo bem, minha amiga?

    Que bom te receber por aqui!

    Ah, essas coisas simples da vida são o que dão sabor para nós. O que seria das misturas mais gostosas se não fosse nosso bom e temperado arroz com feijão?

    Eu, pelo menos, adoro!

    E que maravilha esses barzinhos com tira-gostos doados pela natureza, não é? Ta aí mais uma coisa simples que é uma riqueza!

    Um grande beijo!

    ResponderExcluir
  24. Oi IRMAZINHO!
    Cada coisa inusitada q acontecer!
    como vão as coisa?
    IRMAZINHO muito boa a sua historia dessa manga.q na hora que nós estamos lendo,da a impressão que estamos na hora que aconteceu.
    De tão interessante q é as suas historias.
    As historias levam a um fantastico mundo de fantasias e de sonhos.
    q nós deixam maravilhados.
    que nós levam a cada região q vocês vão.
    Parabéns.
    Saudadessssssss IRMAZINHO.
    Um abranço..

    ResponderExcluir
  25. Oi Wolber! Tudo bem com você meu amigo?

    Pois é, agora só falta dois anos! Ainda bem... não vejo a hora que explorar esse país que tanto mim orgulho!
    Se eu pudesse, ia hoje mesmo!
    Mas cada coisa a seu tempo, com certeza o meu tempo vai chegar!

    Grande Beijos meu amigo!

    ResponderExcluir
  26. Pois é, meu querido doutor!
    Inusitado? Talvez!
    Mas porque não a mão de Deus mostrando que ele está ali, com vocês, abençoando o trabalho?
    Por isso talvez não era uma jaqueira....senão seria penitência e não benção!
    É maravilhoso poder nos transferir imediatamente para os lugares através das suas palavras!
    Que bom que você consegue ver poesia até na queda de uma manga!
    Que bom o mundo ter você!
    Um grande beijo!

    ResponderExcluir
  27. Querida Lua, que bom tê-la por aqui!

    Há poesia em tudo o que é belo. E há muitas coisas belas pelo nosso dia, não é? Basta estar atento para enxergar.

    Podemos reclamar da manga que caiu, praguejar contra o susto que levamos, ou ficarmos felizes em poder participar de algo tão interiorano de nosso país.

    Que bom que você curtiu o texto e, mais ainda, comentou por aqui.

    Muito obrigado pelas palavras, sempre carinhosas. :)

    Um grande beijo, minha querida!

    ResponderExcluir
  28. Olá Luan! Tudo bem, irmãozinho?

    Seu comentário e o da Joyce estavam perdidos, ainda bem que os achei agora! :)

    Que bom que curtiu a história e, mais ainda, se transportou para o lugar. Essa é a vontade de todos que escrevem algo.

    É, meu amiguinho, você que é um cara que consegue enxergar sensibilidade nas coisas, entende uma manga caindo na mesa.

    Saudade de vocês!!
    Um grande abraço Luan!

    ResponderExcluir