quinta-feira, 22 de março de 2012

"Haja minino!"

Ainda há no Brasil lugares onde as pessoas tem 8, 10, 13 filhos. Nos dias atuais, no sertão, a média de descendentes diminuiu, mas ainda vemos pais muito animados. Em todo lugar que passamos há crianças e mais crianças.
Estivemos em uma casa, de seus 20 metros quadrados - se chegasse a tanto -, com paredes de ripas de madeira e teto feito de palhas entrelaçadas, ao lado da escola que o IBS, em parceria com as Casas Bahia, está construindo na comunidade. Um jovem casal vive ali com seus 5 filhos e, enquanto as obras continuam, um parente que ajuda a levantar a sonhada escola se mudou temporariamente para lá, com sua esposa e mais 5 filhos.
Entramos para conhecer; curioso imaginar como 14 pessoas vivem ali dentro.
- Ah, na hora da comida é uma bagunça danada! Criança correndo por todo lado! - disse a avó, que mora em frente, dando uma divertida risada.
De noite, as redes são penduradas pelos 3 cômodos da casa de chão batido. A única cama - de casal - fica no quarto e Luis se divertiu vendo várias redes penduradas em direções diferentes, sobre e em volta dela.
- Mas me diz uma coisa: como que dá pra fazer tanto "minino" com tanta gente em volta??? - perguntou entre risadas para a mãe, que suspeita estar esperando mais um.
Ela riu envergonhada, pensou, mas não deixou de responder:
- Ah, a gente faz meio devagarzinho... - risos por todo lado.
Já na mesma cidade, Jaciria, que trabalha na secretaria de educação de Barreirinhas e nos acompanha no projeto, é a filha mais nova de 13 irmãos (dois já falecidos). Seu pai morreu quando ela tinha apenas 7 meses de idade.
Em nossa base de Canudos, na Bahia, as vezes tem tanta criança ao nosso redor que brincamos que um dia abriremos o chuveiro para tomar banho e não cairá água, descerá uma criança sobre nossos braços.
Porém, hoje, há uma história mais triste por trás do alto número de natalidade: políticas populistas. Ouvimos histórias de mulheres que engravidam pensando no benefício em dinheiro que receberão no nascimento do filho.
- Uma mulher que conheço queria comprar uma moto, engravidou e comprou depois que o bebê nasceu. Outra já mobiliou a casa a cada filho que teve. As crianças mal comem direito, mas a casa tá cheia de móveis - ouvimos.
Uma triste realidade que contrasta com uma época em que ter vários filhos era uma regra, a casa cheia: uma alegria. Assim como nossa amiga arrematou:
- E todos me dizem que meu pai só parou nos 13 filhos porque morreu, senão continuava!
Quem duvida?

12 comentários:

  1. Amigo,Wolber!


    Relatos de uma realidade clara e que se traduz através da ignorância das pessoas,quando não entendem o quanto é complicado cuidar de uma criança.Fatos reais que,observo sempre em terras tupiniquins. Enquanto isso,N a Europa, a população está diminuindo.


    Abraços,


    Luciano Guimarães

    ResponderExcluir
  2. Olá Volber
    Esse o retrato de grande parte do nordeste, fico na dúvida se culpo as politicas populistas ou a falta de informação das pessoas, não porque não terem acesso a tal, mas por fecharem os olhos para a realidade da vida e não perceberem que criar um filho e fazer-lo um cidadão de bem estar muito além dessa ajuda de custo recebida por alguns no nascimento da criança.
    Um grande abraço, nos veremos em Tamboril.
    Silvia Sampaio
    Cabaceiras - PB

    ResponderExcluir
  3. Uma triste realidade! E quem sofre são as crianças. Infelizmente...
    Beijos,
    Analine

    ResponderExcluir
  4. Olá Luciano! Tudo bem, amigo?

    Verdade, o controle de natalidade revela o grau de avanço da sociedade. A falta de informação ainda é um dos principais males de nosso país, seja para a política, seja para a saúde.

    Um grande abraço, Luciano!!

    ResponderExcluir
  5. Oi Sílvia! Tudo bem?

    Total razão, criar um filho e torná-lo uma pessoa de bem não e tarefa fácil. Tirando poucos exemplos que vemos de pessoas que criam vários filhos com educação invejável.

    A parte mais triste é observar grande número de crianças com dificuldade de ter uma alimentação rica em nutrientes.

    Mas eu ainda sustento um lado que vejo e não há como negar: muitas famílias do sertão com 8, 10 filhos, apresentam crianças graciosas e muitas vezes muito melhor educadas do que crianças de cidade grande que tem apenas 1 ou 2 irmãos.

    Fico muito feliz em saber que você também irá a Tamboril, Sílvia!

    Um abraço!!

    ResponderExcluir
  6. Olá Analine!

    E é triste ver quando crianças sofrem consequências. Mas como disse acima, na maioria dos casos elas vivem bem, brincando e se divertindo, felizes da vida, independente da dificuldade em que vivem

    Acredito que muitas vezes mais feliz do que garotos que vivem fechado em casa com seus vídeo-games.

    Porém isso nao nos tira a obrigação de levar informação ao povo e melhorar sua qualidade de vida.

    Um abraço!!

    ResponderExcluir
  7. Que constatação triste, não é, amigo? Também já a havia feito aqui, na própria capital do nosso estado, na comunidade pobre onde trabalho. Parece que menino agora virou moeda de troca para receber os benefícios do governo. Um projeto tão bem intencionado que carece urgentemente ser revisto pois o tiro está saindo pela culatra, como se diz por aqui. Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  8. Preocupante esse " quase" final da sua crônica amigo. Infelizmente, existem sim, pessoas, que querem adquirirem os bens materiais a todo custo. E fazem "nascer dinheiro" e acabam trocando esse dinheiro que nasce, que tem vida, que é gente, a troco de bens materiais. Isso realmente me deixa triste e preocupada...principalmente, quando não investem o "dinheiro do governo" nos "dinheiros que elas fazem nascer".
    Lamentável e preocupante!
    E eu aqui, meu amigo Wolber, sempre torcendo por você e sua equipe, nessas suas idas e vindas, cuidando de GENTE. Acho isso lindo e gratificante. Boa noite meu querido amigo. Abraços.

    ResponderExcluir
  9. Olá Wolber!

    Interessante como essa mesma realidade se revela por todos os cantos do país, de Norte a Sul... Aqui, em minha cidade, tivemos contato com uma família de 13 filhos. A ideia inicial seria ajudá-los com orientação a respeito do controle de natalidade, para que pudessem por si mesmos tomar sua decisão. Mas, para nossa surpresa, sabiam bem o que estavam fazendo e os planos, inclusive, são de trazer mais filhos a este mundo! Não nos falaram diretamente, mas as "más línguas" dizem por aí que cada filho lhes dá a certeza de novas doações, além dos benefícios do governo... Realmente inacreditável! Como se criar filhos significasse simplesmente alimentá-los... e a boa educação, a formação como cidadãos de direitos e deveres numa sociedade?!

    Não questiono o fato de se trazer filhos a este mundo, quando se há consciência e se sabe o que faz. Crianças são uma bênção, uma alegria. Mas precisam ser bem nutridas, e principalmente bem educadas!

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  10. Meu querido amigo!!
    Mais um belo texto e esse agora fala de algo tão importante a familia, filhos... e lendo seu texto me veio as lembranças da minha infância e juventude com meus cinco irmãos nossa casa era apertadinha,mas eramos felizes e fomos muito bem educados. E hoje familias com um, dois filhos não conseguem criar seus filhos, muitos até dão uma boa alimentação, mas esquecem do mais importante o amor, o carinho, o RESPEITO, e a alegria de está todos juntos. Hoje meu amigo pais e filhos não tem tempo pra apreciar as coisas mais simples da vida. Mas é claro que também tem aquelas que tem seus filhos por interesse e os abandonam de tudo e isso infelizmente é uma triste realidade!!
    Beijos fraternos!!!

    ResponderExcluir
  11. - Oh Querido Wolber.. feliz aqui em vc contar um pouquinho da minha família e vivencia.. só corrigindo na verdade, quando meu pai veio a falecer minha mãe ainda estava me esperando com 7 meses de gravidez. Mais graças a Deus minha mãe, foi pai e mãe, e soube nos educar muito bem, nos dando a melhor educação que pudesse, o lema lá em casa sempre foi.. ESTUDAR em primeiro lugar.. e graças a Deus, a minha Mãe, nós hoje, 11 filhos, temos nossos empregos, bem estruturados, alguns tem suas próprias empresas. Mais tudo com esforço de nossa mãe e nossos também, de retribuir por tudo que fizeste por nós.
    - Mais sabemos que hoje em dia o governo tem essa ajuda, com o salario maternidade.. que se eu não me engano chega a 1.000,00. e que algumas mães (se é que podemos chamar de mãe) fazem isso sim.. colocam filho no mundo para receber ajuda do governo. Sem se preocupa com o futuro dessas crianças.
    - Obrigada Wolber pela a grande emoção que me fizeste ter no momento que li essa crônica... não imaginava que um simples conversa sairia tudo isso!! srsrsr..
    - Sou admiradora incansável do trabalho de todos vocês e vocês sabem disso!!
    - BjOOo
    - e já tah pertinho pra nos revermos

    ResponderExcluir
  12. Realidade típica do sertão!!!!

    ResponderExcluir