terça-feira, 31 de agosto de 2010

Imagens do Brasil: crianças

Começarei no blog hoje a idéia dada por um grande amigo, Rafael Beolchi. Por ser apaixonado pelo nosso país, ele "devorou" as fotos que estão na lateral, que seguem o mesmo nome desta postagem.
- Por que você não fala sobre elas, as circunstâncias em que foram tiradas, histórias...
Boa idéia Beolchi! E a cada uma que retirar, para virar história, colocarei uma nova lá embaixo.
Espero que gostem!

Um grande abraço!
Wolber Campos



Se há algo que emociona, é a inocência de uma criança. Por fazermos trabalhos em escolas, o contato com elas é intenso. A amizade também.
No sertão, elas tem um carinho diferente. É um carinho mais intenso, espontâneo, carente, sôfrego.
São várias as situações em que, quando chegamos, nos avançam, umas quatro ou cinco (ou mais!), e nos abraçam, seguindo dessa forma enquanto andamos até a escola, num fundo musical de risadas e palavras de saudade.
Ainda guardam aquela saudosa infância, perdida na cidade grande, onde brincar na rua de terra, jogar futebol com golzinhos de pedra na rua, empinar pipas, nadar em rios e açudes, faz parte de uma deliciosa rotina depois das aulas.
Não admira que se tornem, futuramente, adultos de paz. Os mesmos que nos abrem as portas de suas casas com todo carinho e hospitalidade.
A velha e boa "hospitalidade sertaneja" começa desde cedo.

* Foto de Luis Salvatore

26 comentários:

  1. Wolber,

    Não há dúvida que as crianças de lugares mais bucólicos, dos sertões, dos pequenos vilarejos são mais limpas. Não são contaminadas pelos males de uma cidade grande, onde vivemos tantas cruezas, por isso, elas guardam essa amizade, como se fosse tesouro. Herdam dos pais essa humildade que fazem os corações mais bonitos.
    Linda a foto e esse sorriso.
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. OlÁ! Fiquei muito contente com sua visita e comentário em meu texto no Boas Sementes. Deixei lá uma resposta! Quanto ao seu texto me fez relembrar minha infância vivida todas as férias numa cidadezinha do interior de sâo Paulo.
    um abraço com carinho e volte sempre!

    ResponderExcluir
  3. As crianças se doam...
    São plenamente transparentes e sensiveis...No conquistam com o sorriso puro ...São anjos que nos fazem esquecer o tipo de mundo que as espera.
    Lindas fotos.
    Bjos achocolatados

    ResponderExcluir
  4. Ótima ideia do seu amigo. Com fotos as histórias ficam mais emocionantes....
    grande abraço

    ResponderExcluir
  5. Wolber, queridooo!

    Que saudade de passar aqui.
    Ando meio surtada com falta de tempo, meu dia teria que ter no minimooooooo 30 horas rs.
    E eu, pra variar, já vou adorar ler esses posts das fotos, com suas histórias.
    E to de acordo: Nada mais gostoso do que a inocência de uma criança.
    E muitas vezes, nessa inocência, elas são tão sábias.
    E esse sorrisão no rosto?
    Ô meu Deus, isso tem preço?
    Não!
    E eu vou ficar aqui de olho em cada história sua.

    Um abraçãoooo meu amigo.

    Ahhh: To mais comportada no volante rs

    ResponderExcluir
  6. Enquanto aqui, na cidade grande, crianças são "educadas" a cometer atos não civilizados. Para não dizer outra coisa..

    ..Hoje fui assaltada por uma.

    Hoje, admiramos a inocência, de algumas, amanhã o que vamos admirar?

    Desculpe, acho que me emocionei com o assalto, pois partiu de uma criança. Rs.

    Olhando pelo lado bom, que supre os ruins, crianças nos alegram com suas sabedorias, suas ideias, brincadeiras...

    Tenho um irmão de 8 anos que me surpreende a cada dia, é minha vida..

    Ótimo post, gostei muito do seu blog. Estou seguindo tbem e obrigada pela visita.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Quanto sentimento você coloca no que retrata, moço. Isso é lindo! Poderíamos clonar aos milhares profissionais assim, em áreas humanas. Imagino o quanto deve fazer com que as pessoas que são tratadas por você se sintam gente de verdade, e não apenas mais um paciente.

    Lindo trabalho.
    Lindo texto.

    ResponderExcluir
  8. Olá Damaris!! Muito bom ter você de volta, aqui no blog!

    Eu, na verdade, gosto das duas formas. Gosto quando o texto faz a pessoa viajar e imaginar as cenas e pessoas. Trabalhar a imaginação. E as fotos também são bacanas, que trazem a realidade ali, na hora. É como um choque, ao perceber que a história também tem "carne e osso".

    Valeu a visita!

    Um abração!

    ResponderExcluir
  9. Concordo Sil, porque também acho que, muitas vezes, mais sábio é ser inocente.

    Temos que mudar aquela idéia, errada e enraizada, de que "o mundo é dos espertos". Abaixo a Lei de Gérson!

    É uma honra você dividir seu tempo corrido pra dar uma passada por aqui. Muito obrigado! :)

    Beijo!

    ResponderExcluir
  10. Olá Pétala! Tudo bem?

    Muito obrigado pelas palavras. Longe de ser esse profissional que você retratou, mas agradeço.

    É curioso, mas esse "tratar a pessoa" da melhor forma possível, com amor, deveria ser a obrigação de qualquer profissional, não é? Ainda mais na área da saúde. Infelizmente não é a regra.

    Fico muito feliz que tenha voltado aqui. Um grande prazer!

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  11. Olá,

    passo para dizer-te que não saberia viver sem os meus amigos.
    Para ti, que fazes parte deles, vai o meu carinho e o meu agradecimento em forma de palavras escritas no meu blog. A acompanhá-las há um presente feito especialmente para ti...
    Visita o meu Estados de Alma e verás...

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  12. Olá Ira! Tudo bem?

    O seu foi o primeiro comentário, mas não sei o porquê, me apareceu depois. Antes tarde do que nunca! rs

    É exatamente isso! Não é à toa que o povo do sertão tem uma sabedoria e felicidade nata. São felizes, tendo muito ou pouco. Pra eles não importa. Sabem viver.

    Legal receber sua visita de novo aqui!

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  13. Oi Fabiana! Tudo bem?

    Maior prazer ler seu texto no "Boas Sementes"!

    Eu também vivi a infância indo para uma pequena cidade no interior de Minas. Acho que, por isso, sou fascinado pelo sertão...

    Obrigado pela visita!

    Beijo!

    ResponderExcluir
  14. Oi Sandra! Tudo bem?

    Que legal você por aqui! Bonito o que disse sobre as crianças, é isso mesmo.

    Puras de coração. Nos mostram como deveríamos ser.

    Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  15. Caramba Priscila!! Que coisa?

    Pois é, nem todas as crianças são inocentes, não é?! rs Por isso a importância da educação. Imagine a criação que essa que te assaltou teve em casa? Se é que teve alguma.

    Uma pena.

    Muito obriado pela visita e pelo desabafo! rs

    Grande abraço a você!

    ResponderExcluir
  16. Olá Alma, minha amiga! Tudo bem?

    Passei em seu blog e curti muito o texto! Muito obriado por me ter como parte dos seus amigos!

    Um grande prazer!

    Beijo!

    ResponderExcluir
  17. Oi Wolber, passando pra deixar um abraço!!!

    ResponderExcluir
  18. Oi Sil!!! Tudo bem?

    Outro abração pra você!! Volte sempre! rss

    Beijo!

    ResponderExcluir
  19. É, tens razão.
    São pouco mais de 7h da manhã a acabo de atender uma criança recém chegada de uma cidadezinha na região de Irecê, Chapada Diamantina.
    Aquele rostinho típico, que apesar de sofrido, te abre um sorriso(com dentição absurdamente corroída pela cárie, aliás, ela tem 5 anos e a irmã 7, nas mesmas condições, sem contar no atraso de desenvolvimento para a idade e sérias alterções oculares)ao mesmo tempo uma expressão serena, típica de criança do interior...essa é a realidade do nosso país...vieram para SP, logo perderão esse encanto!

    bjs
    Sabrina

    ResponderExcluir
  20. Oi Sabrina!! Tudo bem?

    Triste realidade essa. Infelizmente esse é um dos pontos, muito negativo, de São Paulo. É difícil generalizar, mas mais difícil ainda encontrar excessões.

    Eu conheço bem esses dentinhos todos destruídos por cáries. Em muitos lugares do interior, chegamos a ver crianças com todos os dentes da frentes "comidos" até as raízes.

    Melhor darmos um jeito de tratá-los lá, melhorar a saúde com prevençao do que trazê-los para cá.

    Assim o encanto estará preservado. ;)

    Beijo!!

    ResponderExcluir
  21. As crianças tem um cuidado excepcionalmente essencial.
    Nos acariciam tão sinceramente. E na realidade "trabalho-produção" mtas vezes, não sobra tempo para receber essa carícia ou doar.
    E em se tratando de sertão onde o tempo corre biologicamente equilibrado, tudo parece fluir, as pessoas são naturalmente atenciosas.
    Verdadeiros homens de Paz.
    Obrigada pela amizade.
    Um abraço sincero.

    ResponderExcluir
  22. Adorei a idéia do seu amigo Rafael.
    Aliás, esse por-do-sol no Ceará é genial, a obra de Deus e a arte do homem. Parabéns ao fotógrafo.

    ResponderExcluir
  23. Que coisa boa ter chegado até aqui.
    Gostei muito do texto e deste espaço.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  24. Olá minha amiga!!

    É, o tempo no sertão, realmente, gira em sua velocidade normal. O que para nós, de cidade grande, parece mais devagar. Estranhamos conseguir fazer render tanto o dia, numa loucura de, ao mesmo tempo parecer que está lá há tempos e ter passado tão depressa.

    Mas o mais importante, é ter tempo de viver, conhecer pessoas, conversar, fazer amizades tão fácil. Algo mais difícil em nossa triste correria.

    Um prazer te receber aqui de novo!

    Beijo!

    ResponderExcluir
  25. Que bom que curtiu a idéia! Ele ficou feliz também.

    Esse pôr-do-sol estava algo absurdo de se ver. Pena que a fotografia passe pouco perto do que estava lá.

    Ah, agradeço de coração o elogio, fui eu quem tirou a foto! Agora fiquei feliz!! rss

    Volte sempre, ok?!

    Um abração!

    ResponderExcluir
  26. Oi Angélica!! Tudo bem?

    Que comentário mais bacana de se ler!

    Prazer te receber neste blog. Espero que volte outras vezes!

    Grande abraço!

    ResponderExcluir