quinta-feira, 10 de março de 2016

Sobre voltar a enxergar

Muitas vezes um médico se encontra frente a uma difícil decisão, aquela não seria diferente. Dona Maria já havia sentido mais de noventa primaveras aquecerem sua pele, porém já fazia vinte delas que não mais enxergava suas cores. A catarata avançada a cegara e ela sentiu naquele profissional sua última esperança de voltar a enxergar em seu fim de vida.
- Doutor, já passei em muitos outros médicos e ninguém quer me operar por eu estar com a idade avançada. Mas eu quero tanto! Sinto que minha hora está chegando, não conheço o rosto de meus bisnetos. Gostaria de rever meus filhos, irmãos...
Entendia perfeitamente seus colegas. Levar uma paciente com mais de 90 anos para a mesa de cirurgia sempre é um risco grande. Um organismo já debilitado pode não resistir à anestesia ou ao stress cirúrgico. Comentou com ela e toda a família sobre todos os riscos possíveis, mas achou justo o desejo sincero de uma senhora em voltar a ver seus entes queridos.
A cirurgia foi um sucesso! Um misto de alegria, por ter devolvido a visão a alguém, com o alívio da paciente ter suportado a intervenção, o envolveu.
No acompanhamento pós-operatório, já no terceiro dia pós cirúrgico, a filha comentava ao lado da senhora a alegria de toda a família, compartilhando a emoção da "bisa" em rever a todos.
- Virou uma peregrinação de parentes em casa! Todo dia tem gente diferente para ela ver. Já tem parente vindo do norte. Fazia tempo que a família não se reunia assim!
E os dias seguintes transcorreram assim. Parentes vieram do sertão para revê-la, e ela, para vê-los. No décimo dia, Maria descansou. Como se esperasse apenas a alegria de poder ver novamente o rosto dos seus para fazer sua passagem, fechou definitivamente seus olhos.
Emocionado, o doutor ouvia o agradecimento sincero da filha e os relatos alegres dos últimos dias.
A família havia dividido a cirurgia em quatro pagamentos.
- Está tudo certo. Não precisam se preocupar com as outras parcelas. - disse segurando a emoção.
Não podia existir maior pagamento do que ter ajudado com sua intervenção àquela simpática senhora a ter seus últimos dias inundados de amor e da visão de sua família.

2 comentários:

  1. Otília Lins Cavalcante20 de julho de 2016 20:23

    Vale a pena realizar sonhos e ter pouco tempo de vida do que viver anos sem realizar nenhum não é doutor!talvez o que esta querida sengira queria levar com ela o brilho do olhar da família e amor que salta dos olhos dos seus.por mais que se ache pouco dez dias pode acreditar pra ela foram os mais lindos da sua vida!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem dúvida, Otilia!

      Acredito que estamos aqui para acumular experiências. E você disse tudo!

      Obrigado pela visita! Bom tê-la por aqui novamente! :)

      Um abraço!

      Excluir